História do Estádio do Morumbi | São Paulo F.C - Fanatic Soberano

Nos primeiros anos de sua existência, o São Paulo Futebol Clube utilizou como sede e campo a Chácara da Floresta (localizada à esquerda da Ponte das Bandeiras, junto ao rio Tietê, na zona central da capital paulista). Daí ser empregado o nome de São Paulo Futebol Clube da Floresta quando se fala da primeiro período de existência da agremiação, de janeiro de 1930 até maio de 1935.

 

Quando o São Paulo Futebol Clube foi refundado em dezembro de 1935, não tinha um campo próprio, situação que perdurou até 1938, quando a união com o Estudante Paulista rendeu ao São Paulo Futebol Clube o campo da Mooca. Em 1940 passou a usar o Pacaembu.

Em 1944, o São Paulo Futebol Clube comprou o Canindé que passou a ser o seu campo. Mas o Canindé só era utilizado como sede social e local para treinamentos; era muito pequeno para a grandeza do time e então surgiram as idéias e projetos para a construção de um estádio monumental.

O sonho de construir um grande estádio começou a se tornar realidade. A idéia inicial era a área onde atualmente encontra-se o Parque do Ibirapuera, na época uma região alagada, mas o então vereador Jânio Quadros impediu que o clube recebesse a área da prefeitura. O local escolhido foi uma área no Jardim Leonor, região do Morumbi, praticamente desabitado, que estava em processo de loteamento imobiliário.

Em dezembro de 1951, a área foi adquirida pelo São Paulo Futebol Clube. Em 1952, o presidente do clube, Cícero Pompeu de Toledo, procurou Laudo Natel, diretor do Bradesco, propondo-lhe que assumisse o clube administrativamente.

No dia 15 de agosto de 1952, monsenhor Bastos abençoou os terrenos e foi lançada a campanha Pró-Construção do Estádio do Morumbi. Foi eleita uma comissão constituída pelo presidente Cícero Pompeu de Toledo e pelos seguintes nomes: Piragibe Nogueira (vice-presidente); Luís Cássio dos Santos (secretário); Amador Aguiar (tesoureiro); Altino de Castro Lima, Carlos Alberto Gomes Cardim, Luís Campos Aranha, Manuel Raimundo Pais de Almeida, Osvaldo Artur Bratke, Roberto Gomes Pedrosa, Roberto Barros Lima, Marcos Gasparian, Paulo Machado de Carvalho e Pedro França Filho Pinto.

 

 

Esses seriam os homens que fariam virar realidade o sonho de construir o maior estádio particular do mundo. Iniciava-se então, uma nova fase na vida do São Paulo Futebol Clube.

Parte do dinheiro da venda do Canindé (vendido à Portuguesa de Desportos em 1956) foi revertido em material de construção. Toda a receita do São Paulo Futebol Clube também foi investida na construção do estádio do Morumbi, ficando o time num segundo plano. As obras para a construção do novo estádio começaram em 1953.

O grande sonho do Tricolor estava sendo construido. O projeto do estádio do Morumbi teve a criação do arquiteto Vilanova Artigas, um dos principais representantes da “escola paulista” da arquitetura moderna.

 

 

Alguns números do gigantismo do Estádio do Morumbi são impressionantes: para o desenvolvimento do projeto foram necessárias 370 pranchas de papel vegetal; cinco meses foram consumidos nas terraplanagens e escavações, com o movimento de 340 mil metros cúbicos de terra; um córrego foi canalizado; o volume de concreto utilizado é equivalente a construção de 83 edifícios de dez andares; os 280 mil sacos de cimento usados, se colocados lado a lado, cobririam a distância de São Paulo ao Rio de Janeiro; 50 mil toneladas de ferro, que daria para circundar a Terra duas vezes e meia.

 

O Estádio do Morumbi já recebeu grandes concertos musicais como o megashow do Queen em 1984, o da cantora Madonna em Novembro de 1993, durante a polêmica turnê “The Girlie Show” e em Fevereiro de 2006 com dois concertos da banda irlandesa U2, na turnê “Vertigo”.

Estádio do Morumbi – Em um determinado momento, uma troca foi proposta pela prefeitura que ficaria com o Estádio do Morumbi e o São Paulo Futebol Clube, com o Pacaembu. Mas Laudo Natel, apoiado por toda a diretoria, prosseguiu a batalha, após a morte de Cícero Pompeu de Toledo. Tanto esforço para construir o maior estádio particular do mundo, merecia uma grande festa de inauguração.

 

Dados:

Estádio Cícero Pompeu de Toledo (Estádio do Morumbi)
Capacidade de público atual: 67.052 (desde novembro de 2013);
Capacidade de público quando finalizada a reforma: 149.408 pessoas;
Área total: 154.520 m²;
Área construída: 112.904 m²;
Área reservada ao público: 62.450m²;
Campo oficial: 105m x 68m – padrão FIFA;
Inauguração: 02.10.1960 (São Paulo 1 x 0 Sporting-POR)
Recorde de público: 138.032 pessoas (Corinthians x Ponte Preta, 09.10.1977) *Normal eles não tinha casa, e era uma oportunidade única poder pisar no Morumbi, tinha que aproveitar

Instalações:

Medidas da área de jogo: Comprimento – 105m / Largura – 68m
Espaço para jogadores reservas: 2 bancos de reservas com 22 assentos com estofamento
Dois placares eletrônicos
Sistema de iluminação dotado de 256 refletores

Estádio do são pauloHistória do estádio do morumbi | são paulo f.cMorumbiSão paulo fc

Produtos em destaque

40%
Camisa do São Paulo 23/24 | Promoção RelâmpagoCamisa do São Paulo 23/24 | Promoção Relâmpago
Camisa do São Paulo 23/24 | Promoção Relâmpago
R$ 197 R$ 327

em até 12x deR$ 19,96

40%
Camisa do São Paulo Segundo Uniforme 23/24Camisa do São Paulo Segundo Uniforme 23/24 - Fanatic Soberano
Camisa do São Paulo Segundo Uniforme 23/24
R$ 197 R$ 327

em até 12x deR$ 19,96

44%
Jaqueta do São Paulo Apresentação Dourada 23/24Jaqueta do São Paulo Apresentação Dourada 23/24
Jaqueta do São Paulo Apresentação Dourada 23/24
R$ 337 R$ 599

em até 12x deR$ 34,15